17 outubro 2013


Nós somos o que fazemos. O que não se faz não existe. Portanto, só existimos nos dias em que fazemos. Nos dias em que não fazemos apenas duramos.

14 outubro 2013

Gostaria de dizer que os pássaros emanam das árvores
mas deixo essa forma de dizer ao romancista 
é complicada e não se dá bem na poesia 
não foi ainda isolada da filosofia

Ruy Belo

12 outubro 2013

Em todos os jardins hei-de florir, 
Em todos beberei a lua cheia, 
Quando enfim no meu fim eu possuir
Todas as praias onde o mar ondeia.
Um dia serei eu o mar e a areia,
A tudo quanto existe me hei-de unir,
(...)
Sophia de Mello Breyner

06 outubro 2013


Deito-me tarde
Espero por uma espécie de silêncio
Que nunca chega cedo
Espero a atenção a concentração da hora tardia
Ardente e nua
É então que os espelhos acendem o seu segundo brilho
É então que se vê o desenho do vazio
É então que se vê subitamente
A nossa própria mão poisada sobre a mesa

É então que se vê passar o silêncio

Navegação antiquíssima e solene

Sophia Mello Breyner

03 outubro 2013

Eu queria ter o tempo e o sossego suficientes para não pensar em coisa nenhuma, para nem me sentir viver, para só saber de mim nos olhos dos outros, reflectido.