25 fevereiro 2013


Dez horas da manhã; os transparentes
Matizam uma casa apalaçada;
Pelos jardins estancam-se as nascentes,
E fere a vista, com brancuras quentes,
A larga macadamizada.
(...)
Cesário Verde (Lisboa, 25 de Fevereiro de 1855 . Lumiar, 19 de Julho de 1886)

11 fevereiro 2013

Tivemos um notável crepúsculo certa tarde do último Novembro. Eu vagueava por um campo, fonte de um pequeno riacho, quando o sol finalmente atingiu um estrato isolado no horizonte, isto num dia frio e cinzento e justamente momentos antes de pôr-se — e a mais branda e brilhante luz solar desencadeou-se sobre a relva seca, sobre os troncos das árvores do horizonte oposto e sobre as folhas dos arbustos de carvalhos da colina, enquanto as nossas sombras alongadas se projectaram no campo em direcção de leste, como se fôramos os únicos obstáculos aos seus raios. Tal era a luz que momentos antes não a poderíamos ter imaginado e a atmosfera também era tão morna e serena que nada faltava para que do prado se fizesse o paraíso. Quando reflectimos que aquele não era um fenómeno isolado que nunca mais se repetisse, mas que aconteceria sempre num infinito número de tardes, e que embalaria a mais tardia criança que lá aparecesse, o espectáculo tornou-se ainda mais glorioso.
H. D. Thoreau . em "Caminhar"

02 fevereiro 2013

01 fevereiro 2013

Vous ne pourrez jamais voir cette étoile comme je la voyais. Vous ne comprenez pas : elle est comme le cœur d'une fleur sans cœur.
André Breton . Nadja