28 dezembro 2013

21 dezembro 2013

19 dezembro 2013

Escrever é esquecer. A literatura é a maneira mais agradável de ignorar a vida.

15 dezembro 2013

10 dezembro 2013

Escondo-me na minha flor,
Para que, murchando em teu Vaso,
tu, insciente, me procures -
Quase uma solidão.

Emily Dickinson

29 novembro 2013

Até as imagens me são inúteis porque contemplo tudo.
Cristovam Pavia . no poema "Requiem"

28 novembro 2013

19 novembro 2013



Ao acordar lembrei-me de Peter Doyle. Deviam ser seis horas, na austrália em frente um pássaro cantava. Não vou jurar que cantasse em inglês, só os pássaros de Virgínia Woolf têm privilégios assim, mas o júbilo do meu pisco trouxe-me à memória a cotovia dos prados americanos e o rosto friorento do jovem irlandês, que naquele inverno Walt Whitman amou, sentado ao fundo da taberna, esfregando as mãos, junto ao calor do fogão.

Abri a janela, na escassa claridade que se aproximava procurei, em vão, a delícia sem mácula que me despertara. Mas de repente, uma, duas, três vezes, ouviram-se uns trinadinhos molhados, a indicar-me um sopro de penas que mal se distinguia da folhagem. Então, invocando antiquíssimas metáforas do canto, peguei no livro venerando que tinha à mão e, de estrofe em estrofe, fui abrindo as represas às águas do ser, como quem se prepara para voar.

Eugénio de Andrade . “Walt Whitman e os Pássaros”

02 novembro 2013

17 outubro 2013


Nós somos o que fazemos. O que não se faz não existe. Portanto, só existimos nos dias em que fazemos. Nos dias em que não fazemos apenas duramos.

14 outubro 2013

Gostaria de dizer que os pássaros emanam das árvores
mas deixo essa forma de dizer ao romancista 
é complicada e não se dá bem na poesia 
não foi ainda isolada da filosofia

Ruy Belo

12 outubro 2013

Em todos os jardins hei-de florir, 
Em todos beberei a lua cheia, 
Quando enfim no meu fim eu possuir
Todas as praias onde o mar ondeia.
Um dia serei eu o mar e a areia,
A tudo quanto existe me hei-de unir,
(...)
Sophia de Mello Breyner

06 outubro 2013


Deito-me tarde
Espero por uma espécie de silêncio
Que nunca chega cedo
Espero a atenção a concentração da hora tardia
Ardente e nua
É então que os espelhos acendem o seu segundo brilho
É então que se vê o desenho do vazio
É então que se vê subitamente
A nossa própria mão poisada sobre a mesa

É então que se vê passar o silêncio

Navegação antiquíssima e solene

Sophia Mello Breyner

03 outubro 2013

Eu queria ter o tempo e o sossego suficientes para não pensar em coisa nenhuma, para nem me sentir viver, para só saber de mim nos olhos dos outros, reflectido.

26 setembro 2013

(...) repara no silêncio, é quase branco. Há muito tempo que ninguém se demorou a contemplar os breves instrumentos do verão.
Eugénio de Andrade

12 setembro 2013

Evadir-me, esquecer-me, regressar à frescura das coisas vegetais, ao verde flutuante dos pinhais percorridos de seivas virginais...

15 agosto 2013

Language... has created the word 'loneliness' to express the pain of being alone. And it has created the word 'solitude' to express the glory of being alone. (Paul Tillich)

08 agosto 2013

As you like it ‒ but this is just a pepper ‒ nothing else - to the impure all things are impure. (E.Weston)

16 junho 2013

Apenas por não se dar ao trabalho de observá-las é que o homem julga as plantas desprovidas de movimentos e sensações.

28 maio 2013


O verde dos bambus mais altos é azul
ou então é o céu que pousa nos seus ramos.
E.A. “Pequeno Caderno do Oriente”

09 abril 2013

27 março 2013

L'humanité est constamment aux prises avec deux processus contradictoires dont l'un tend à instaurer l'unification, tandis que l'autre vise à maintenir ou à rétablir la diversification. 
Claude Lévi-Strauss

12 março 2013

(...) Hoje
sei apenas gostar
duma nesga de terra
debruada de mar.
Miguel Torga . do poema "Pátria"

06 março 2013

(...) tenho uma varanda ampla cheia de malvas e o marulhar das noites povoadas de peixes voadores (...)
Al Berto . do poema "visita-me enquanto não envelheço"

25 fevereiro 2013


Dez horas da manhã; os transparentes
Matizam uma casa apalaçada;
Pelos jardins estancam-se as nascentes,
E fere a vista, com brancuras quentes,
A larga macadamizada.
(...)
Cesário Verde (Lisboa, 25 de Fevereiro de 1855 . Lumiar, 19 de Julho de 1886)

11 fevereiro 2013

Tivemos um notável crepúsculo certa tarde do último Novembro. Eu vagueava por um campo, fonte de um pequeno riacho, quando o sol finalmente atingiu um estrato isolado no horizonte, isto num dia frio e cinzento e justamente momentos antes de pôr-se — e a mais branda e brilhante luz solar desencadeou-se sobre a relva seca, sobre os troncos das árvores do horizonte oposto e sobre as folhas dos arbustos de carvalhos da colina, enquanto as nossas sombras alongadas se projectaram no campo em direcção de leste, como se fôramos os únicos obstáculos aos seus raios. Tal era a luz que momentos antes não a poderíamos ter imaginado e a atmosfera também era tão morna e serena que nada faltava para que do prado se fizesse o paraíso. Quando reflectimos que aquele não era um fenómeno isolado que nunca mais se repetisse, mas que aconteceria sempre num infinito número de tardes, e que embalaria a mais tardia criança que lá aparecesse, o espectáculo tornou-se ainda mais glorioso.
H. D. Thoreau . em "Caminhar"

02 fevereiro 2013

01 fevereiro 2013

Vous ne pourrez jamais voir cette étoile comme je la voyais. Vous ne comprenez pas : elle est comme le cœur d'une fleur sans cœur.
André Breton . Nadja

30 janeiro 2013

Possuir é perder. Sentir sem possuir é guardar, porque é extrair de uma coisa a sua essência.

Fernando Pessoa . em "O livro do Desassossego"

24 janeiro 2013


Meu alvoroço de oiro e lua
Tinha por fim que transbordar...
- Caiu-me a Alma ao meio da rua,
E não a posso ir apanhar!

Mário de Sá-Carneiro