24 dezembro 2012

Há barcos para muitos portos, mas nenhum para a vida não doer, nem há desembarque onde se esqueça.

21 dezembro 2012

(...)
E fugiste... Que importa? Se deixaste
A lembrança violeta que animaste, 
Onde a minha saudade a Cor se trava?... 

Mário de Sá-Carneiro . do poema "Último Soneto"

19 dezembro 2012

Duas almas que se compreendam inteiramente, que se conheçam, que saibam mutuamente tudo quanto nelas vive - não existem. Nem poderiam existir. No dia em que se compreendessem totalmente - ó ideal dos amorosos! - eu tenho a certeza que se fundiriam numa só. E os corpos morreriam.

Mário de Sá-Carneiro . Cartas a Fernando Pessoa

14 dezembro 2012


Eurydice perdida que no cheiro
E nas vozes do mar procura Orpheu:
Ausência que povoa terra e céu
E cobre de silêncio o mundo inteiro.

Assim bebi manhãs de nevoeiro
E deixei de estar viva e de ser eu
Em procura de um rosto que era o meu
O meu rosto secreto e verdadeiro.

Porém nem nas marés, nem na miragem
Eu te encontrei. Erguia-se somente
O rosto liso e puro da paisagem.

E devagar tornei-me transparente
Como morte nascida à tua imagem
E no mundo perdida esterilmente.

Sophia de Mello Breyner . "Soneto de Eurydice"

11 dezembro 2012


Reler-me é sempre um medo que me enche de prazer.

Al Berto, DIÁRIOS, Assírio&Alvim, 2012

06 dezembro 2012


e ao anoitecer adquires nome de ilha ou de vulcão
deixas viver sobre a pele uma criança de lume
e na fria lava da noite ensinas ao corpo
a paciência o amor o abandono das palavras
o silêncio
e a difícil arte da melancolia

Al Berto

26 novembro 2012


Por vezes no céu da tarde passava uma Lua branca como uma nuvem, furtiva, sem brilho, como uma actriz fora da sua hora de representar e que, da sala, com roupa de sair, observa por um instante os seus companheiros, encoberta, sem querer atrair as atenções para si mesma.

21 novembro 2012

Sim, sei bem 
Que nunca serei alguém. 
Sei de sobra 
Que nunca terei uma obra. 
Sei, enfim, 
Que nunca saberei de mim. 
Sim, mas agora, 
Enquanto dura esta hora, 
Este luar, estes ramos, 
Esta paz em que estamos, 
Deixem-me crer 
O que nunca poderei ser.

Ricardo Reis

20 novembro 2012

15 novembro 2012

12 novembro 2012


Donner des conseils, dit Goethe, est un affaire bien prėcaire, est quand on a vu, aprės quelque temps combien il arrive souvent que les affaires les mieux combinėes ėchouent, alors que les plus grand folies sont couronnėes de succės, on en vient a ne plus avoir envie de donner des conseils. Au fond, demander conseil est le fait dun petit esprit, est en donner, signe de prėsomption. Il ne faudrait donner des conseils que dans les affaires où l'on veut collaborer. Lorsqu'on me demande un conseil, je reponds volontiers que je suis prêt à le donner, à condition toutefois qu'on me promette de n'en pas tenir compte.
(Conversations de Goethe avec Eckermann)

02 novembro 2012

Living is no laughing matter :
you must live with great seriousness
like a squirrel, for example -
I mean without looking for something beyond and above living,
I mean living must be your whole occupation.
(...)
Nâzim Hikmet Ran (1902-1963)

30 outubro 2012



My dear,
Find what you love and let it kill you.
Let it drain you of your all.
Let it cling onto your back and weigh you down into eventual nothingness.
Let it kill you and let it devour your remains.
For all things will kill you, both slowly and fastly, but it’s much better to be killed by a lover."

Charles Bukowski

29 outubro 2012

(...)
Inventei a cor das vogais! – A negro, E branco,
I vermelho, O azul, U verde
Determinei a forma e o movimento de cada consoante,
e, com ritmos instintivos,
procurei inventar um verbo poético acessível, custe o que custar,
a todos os sentidos. Guardei a tradução.

Era acima de tudo um esboço. Escrevi os silêncios,
as noites. Anotei o indizível. Fixei vertigens

Arthur Rimbaud – Alchimie du Verbe (Trad. de Rui Bebiano)

14 outubro 2012




If one says 'Red' and there are 50 people listening, it can be expected that there will be 50 reds in their minds. And one can be sure that all these reds will be very different.
Josef Albers

08 outubro 2012


They who dream by day are cognizant of many things which escape those who dream only by night.

07 outubro 2012

10 setembro 2012

07 agosto 2012



Relembrando
O antigo jovem tempo quando
Pelos sombrios corredores da casa antiga
Nas solenes penumbras do silêncio
Eu recitava
“As três mulheres do sabonete Araxá”
E minha avó se espantava

05 agosto 2012

Viver muito tempo é sobreviver a muitas coisas, a pessoas amadas, odiadas, indiferentes, a reinos, capitais, mesmo a florestas e árvores que semeámos e plantámos na juventude. Sobrevivemos a nós mesmos, e até ficamos gratamente reconhecidos quando já só nos restam alguns dons do corpo e do espírito. Aceitamos com agrado tudo o que é efémero; e basta já que o eterno nos seja presente em cada momento para não sofrermos com o tempo que passa.
Goethe . Abril de 1823

03 agosto 2012

Um louco apaixonado seria capaz de fazer fogos artificiais com o sol, a lua e as estrelas, para divertir a mulher amada.

25 julho 2012

A arte não se dirige à cultura, mas sim à vida (...) Um poema não faz parte de uma literatura, mas sim do mundo em que estamos.
A arte pode ser estudada no plano da cultura, mas a sua mais funda comunicação é no plano da vida quando na arte somos confirmados. E o verdadeiro nome dessa comunicação é "entusiasmo", dando à palavra o seu sentido grego.
(...)
O homem que é insensível ou indiferente à poesia, à música ou à pintura é um homem ensurdecido no seu ser e diminuído na sua existência. Um homem mutilado, anormal e temível. É o destruidor da alegria.

Sophia de Mello Breyner


(é isto o incendiário... um destruidor da alegria)

19 julho 2012

05 julho 2012

Everything is blooming most recklessly; if it were voices instead of colors, there would be an unbelievable shrieking into the heart of the night.

28 junho 2012

(...)
Foi neste líquido que numa noite cálida de Verão,
sob um luar gomoso e branco de camélia,
apareceu a boiar o cadáver de Ofélia
com um nenúfar na mão.

(da mais bonita "Lição sobre a água" de que memória)

22 junho 2012



Há quem, no meio de uma tempestade existencial, resolva usar drogas, viajar a Lourdes e clamar por um milagre, conhecer o Dalai Lama ou praticar esporte. Eu resolvi fazer um filme.

João Moreira Salles sobre Santiago

20 junho 2012




You darkness, that I come from,
I love you more than all the fires
that fence in the world,
for the fire makes
a circle of light for everyone,
and then no one outside learns of you.

But the darkness pulls in everything;
shapes and fires, animals and myself,
how easily it gathers them!—
powers and people—

and it is possible a great energy
is moving near me.

I have faith in nights.

(RMR)

16 junho 2012





Diz-me a tília a cantar: "Eu sou sincera,
Eu sou isto que vês: o sonho, a graça;
Deu ao meu corpo, o vento, quando passa,
Este ar escultural de bayadera...
Florbela Espanca